Diretrizes para os Avaliadores

DIRETRIZES DE AVALIADORES

ORIENTAÇÕES PARA OS AVALIADORES

  1. Acesse o sistema no site da Revista Verde, entre com seu login e senha.

  2. Na “Página do usuário” aparecerão as funções habilitadas. Clique na função “Avaliador”. Aparecerão todos os trabalhos enviados para sua avaliação.

  3. Clique sobre o título que deseja avaliar, e abrirá outra janela:

- Submissão aguardando avaliação

- Cronograma da avaliação

- Diretrizes para avaliação

Em Diretrizes para avaliação, proceda da seguinte maneira:

No passo 1 , clique no ícone de e-mail para avisar o editor sobre sua a disponibilidade, ou não, para avaliar o manuscrito. Caso esteja disponível, prossiga para o passo 2.

No passo 2 , ao lado de “manuscrito da submissão”, aparece um número e algumas letras separadas por pontos e traço. Clique sobre este link e aparecerá a possibilidade de abrir, salvar ou cancelar (escolha “salvar” para copiar o manuscrito em seu computador e fazer a avaliação do mesmo).

Feita a avaliação, retorne ao sistema e prossiga respondendo ao que é solicitado.

No passo 3 , clique no ícone “comentário”, ao lado da palavra “avaliação”, e abrirá uma caixa onde será possível inserir o parecer para o(s) autor(es) e aos editores. O parecer deverá orientar-se pelos seguintes pontos:

- Número do manuscrito

- Data do Parecer

- Título

- O texto promove abordagem ambiental ou sustentável, a partir de uma perspectiva interdisciplinar?

- O texto atende aos formatos previstos na Normas de Submissão?

- O resumo apresenta todas as partes do manuscrito (objetivo, metodologia e síntese dos resultados) e está escrito de modo impessoal?

- O texto é claro na sua forma, linguística e estrutural, e nos argumentos construídos?

- O texto apresenta uma introdução clara, apontando os objetivos do trabalho?

- As reflexões, os dados apresentados e as ideias desenvolvidas são claras e bem elaboradas?

- O texto é escrito com rigor teórico-metodológico de modo a tornar claros tanto a proposição quanto o percurso analítico?

- O texto apresenta conclusões claras, apontando contribuições para as temáticas socioambientais e/ou de sustentabilidade ambiental numa perspectiva interdisciplinar?

- O texto apresenta referências adequadas, suficientes e atualizadas?

- O texto apresenta originalidade na forma de problematização e/ou nos elementos teórico-metodológicos?

- No todo você classifica o texto como?

Comente o texto, justificando as razões para o aceite ou a recusa do manuscrito (relevância, abrangência, aprofundamento do tema, estrutura do trabalho, conclusões e contribuições para a área interdisciplinar e ambiental). Discorra sobre as modificações a serem realizadas, caso necessário.

No passo 4 , ao fazer modificações diretas no texto que está analisando (sugerimos grifá-las com outra cor) é possível enviá-lo aos autores da seguinte maneira: em documentos enviados, clique em “procurar”, selecione o arquivo e transfira. Feito isso, salve e feche.

No passo 5 , Recomendação, escolha a que melhor contempla seu parecer, selecione e clique em enviar avaliação para o Editor.

O próprio sistema nos informará que você concluiu a avaliação.

Sempre que concluir suas atividades no Sistema Eletrônico da Revista Verde, vá até o ícone USUÁRIO e clique em sair do sistema.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO - ANÁLISES DOS MANUSCRITOS

1ª ETAPA: A primeira avaliação a ser feita nos manuscritos submetidos corresponde a primeira leitura (desk-review) dos Editores-Chefes destinada a avaliar a pertinência e relevância dos manuscritos submetidos, sua adequação ao escopo da revista, Normas de Submissão e aspectos como contribuição e ineditismo. Somente os trabalhos considerados pelos editores como adequados para a RV e, em particular, para os leitores do periódico, prosseguirão para as demais etapas de avaliação. Manuscritos rejeitados nesta primeira etapa poderão ser submetidos em outra edição, desde que corrigidos os problemas. Trabalhos que não se enquadrem nos parâmetros descritos são devolvidos aos autores para ajustes ou, ainda, uma carta é enviada aos autores informando a não aceitação.

Após aprovado nessa etapa, os editores-chefes encaminham o trabalho para análise por pares, adotando o formato de avaliação duplo-cego (double blind review).

Os manuscritos podem levar até 8 (oito) semanas, após a submissão, para serem processados nesta etapa.

2ª ETAPA: Na etapa de avaliação duplo-cego pelos pares, os arquivos sem identificação de autoria serão enviados a no mínimo dois Avaliadores Ad hoc com experiência relacionada ao tema do manuscrito, e um Avaliador do Conselho Científico Consultivo ou Conselho Editorial. Os revisores fornecerão relatórios sobre o manuscrito, normalmente dentro de 12 (doze) semanas. Se os revisores não fornecerem respostas consistentes, os editores tomarão uma decisão baseada nos relatórios dos revisores ou enviarão o manuscrito para outros revisores.

O avaliador convocado deverá informar o mais breve possível se poderá concluir a revisão dentro do prazo estipulado. Caso não possa, responda imediatamente com sugestões de avaliadores alternativos.

3ª ETAPA: Após avaliação pelo pares podem ocorrer os seguintes procedimentos:

  • Manuscritos aprovados sem ressalvas, com bases nos pareceres, inclusive do Conselho Editorial, são selecionados para publicação. Um comunicado de aceite é enviado aos autores.

  • Manuscritos aprovados com ressalvas, apesar de terem seu mérito constatado pelos pareceristas, necessitam de ajustes. Neste caso, uma comunicação é enviada aos autores solicitando tais ajustes e adequações. Após serem devolvidos à revista, os manuscritos são reencaminhados aos pareceristas para constatar a realização dos ajustes solicitados. A aprovação é condicionada à realização adequada destes ajustes. Cabe salientar que não há garantia de publicação do manuscrito quando ajustes são solicitados.

  • Manuscritos reprovados pelos pareceristas ou Conselho Editorial serão reportados aos seus autores com o parecer consubstanciado da recusa. O processo editorial se encerra.

  • Esta etapa dura em torno de 12 (doze) semanas.

  • Havendo atraso por parte do autor para realização dos ajustes e correções solicitadas ao manuscrito, este manuscrito será desligado do processamento editorial. Podendo o manuscrito ser reapresentado para outra edição, devendo reiniciar todo processo de submissão.

4ª ETAPA: Os manuscritos aprovados são encaminhados para editoração e publicação.

Não há garantia de que os manuscritos aceitos em um determinado momento serão publicados exatamente na edição posterior. Pode ocorrer que o número de manuscritos aprovados seja superior ao número que pode ser publicado em um determinado volume da revista. Fica a cargo dos editores e Conselho Editorial definir a prioridade de publicação de acordo com o tema de uma edição, ou a necessidade de uma edição extra.

Esta etapa pode durar até 6 (seis) meses.

Desta forma, solicitamos aos autores que aguardes os prazos informados antes de entrar em contato para saber sobre a avaliação do manuscrito.

A revista notificará o autor de sua decisão de aceitação ou rejeição do manuscrito. A aceitação geralmente depende de fazer alterações de acordo com os comentários dos revisores e editores. Após a aceitação, o manuscrito será submetido a revisão gramatical, verificação de formatação, diagramação e edição.

CRITÉRIOS PARA A ACEITAÇÃO DO MANUSCRITO

Os critérios e parâmetros abaixo listados são referentes aos tipos de manuscritos aceitos pela RV, já definidos nas Normas de Submissão e Regimento:

  1. Artigo Científico : manuscrito oriundo de pesquisa original, dedicado à publicação de trabalhos conclusos ou com conclusões parciais, sob a forma de artigo, resultantes de pesquisas originais ou de revisão. Os artigos deverão ser inéditos em periódicos de qualquer espécie, bem como em capítulos de livros (publicados ou no prelo). Entre 10 (dez) e 30 (trinta) páginas.

  1. Nota científica : categoria de manuscrito científico que descreve uma técnica, uma nova espécie ou observações e levantamentos de resultados limitados, porém com o mesmo valor de um artigo científico, pois baseia-se no seu conteúdo e mérito científico. No entanto, pode tratar-se de um trabalho preliminar, simples e não definitivo sobre determinado assunto, com publicação justificada pelo seu ineditismo e contribuição para área. Entre 3 (três) e 15 (quinze) páginas.

  1. Resenha : é o trabalho narrativo, descritivo ou dissertativo, no qual se descreve as propriedades de determinada obra, resume-se e apresenta-se sua conclusão, sua metodologia, expõe-se o referencial teórico do autor, apresenta-se uma avaliação da obra, indica-se o público-alvo. Deve ser sintética, interpretativa e crítica. Trata-se de um resumo crítico de obras nas áreas de conhecimento ligadas aos temas socioambientais e de sustentabilidade ambiental. Entre 5 (cinco) e 15 (quinze) páginas.

  1. Entrevista : espaço para a publicação de opiniões e/ou declarações de profissionais nas áreas de conhecimento da RV que envolvam questões socioambientais pertinentes, formuladas de maneira sucinta e resposta restrita à pergunta formulada, com a indicação da pessoa entrevistada, titulação e resumo das atividades profissionais. Entre 3 (três) e 15 (quinze) páginas.

  1. Relato de caso e de experiência : é descrição de uma experiência, processo prático, execução de um serviço ou atividade extensiva. Entre 5 (cinco) e 20 (vinte) páginas.

  1. Ensaio teórico : é a análise de conteúdos teóricos, levando em consideração os questionamentos dos modelos existentes e à elaboração de hipóteses para futuras pesquisas. Especificações gerais idênticas às dos relatos de pesquisa Entre 10 (dez) e 25 (vinte e cinco) páginas.

  1. Revisão bibliográfica : análise abrangente de literatura sobre um assunto de interesse para as áreas de conhecimento das Revistas abrangendo os principais periódicos da área em nível nacional e internacional. Entre 10 (dez) e 30 (trinta) páginas.

  1. Tradução : adaptação ou tradução para o português de trabalhos inéditos no Brasil, conforme tipos supracitados. O tradutor deve possuir e apresentar documento de autorização do autor ou detentor dos direitos autorais para publicação ou utilização da obra originária, caso esta não esteja em domínio público (70 anos após a morte do autor), em acordo com a Convenção de Berna. Entre 5 (cinco) e 40 (quarenta) páginas.

CRITÉRIOS PARA A REJEIÇÃO DO MANUSCRITO

  • Problema grave identificado na triagem técnica;

  • O manuscrito contém elementos suspeitos de plágio, ou está atualmente sob avaliação de outra revista;

  • O manuscrito não está completo;

  • A qualidade do idioma (ortografia e gramática) não é suficiente para o processo de revisão por pares;

  • As figuras não estão completas ou estão ilegíveis;

  • O manuscrito não está em conformidade com as Diretrizes para os Autores da RV;

  • As referências estão incompletas ou muito antigas;

  • Não se enquadra nos Objetivos e Escopo da revista;

  • Está incompleto.

  • O manuscrito relata apenas uma pequena extensão da literatura publicada em outros periódicos - falta novidade.

  • A linguagem, estrutura ou figuras estão tão fora dos parâmetros que o mérito não pode ser avaliado. Peça a um revisor profissional do idioma para melhorar a redação antes da submissão. Além disso, sugerimos que pelo menos um pesquisador experiente analise o conteúdo antes de enviá-lo.

  • Se você houver algum conflito de interesse com o manuscrito ou o autor. Podem ocorrer situações impeditivas para o avaliador como: ser um co-autor no passado, atual ou estimado, um colega atual ou passado, um ex-aluno ou orientador, um amigo pessoal próximo ou membro da família, ou tem uma relação financeira ou disputa anterior entre o avaliador e o autor. Ocorrendo, o editor deve decidir encontrar um novo avaliador.

DIRETRIZES PARA AVALIADORES

O avaliador deve fornecer consultoria especializada ao editor sobre a qualidade de um manuscrito, informando se é ou não publicável. O avaliador emite o parecer e o editor decide. No caso de uma recomendação para correção e reenvio, o avaliador deve aconselhar o editor sobre quaisquer mudanças que o revisor julgue necessárias para tornar o manuscrito publicável.

A Má Conduta dos Avaliadores será avaliada pela RV, de acordo com os princípios estabelecidos para conduta pelas Normas da RV e normativas de periódicos científicos, disponíveis em:

https://www.scielo.br/j/ci/a/Ntch65p4YJf4rbckkGQ5fWz/?lang=pt

http://memoria2.cnpq.br/view/-/journal_content/56_INSTANCE_0oED/10157/106200

https://wp.scielo.org/wp-content/uploads/Guia-de-Boas-Praticas-para-o-Fortalecimento-da-Etica-na-Publicacao-Cientifica.pdf

https://www2.cbpf.br/downloads/o-cbpf/sobre/pdfs/2018/Guia-Boas-Praticas-Cientificas-CBPF.pdf

EMISSÃO DE PARECERES

  1. O avaliador deverá emitir um parecer consubstanciado a ser enviado para o autor do manuscrito; além da carta de avaliação direcionada aos Editores-Chefes. Sobretudo, porque pode ocorrer a necessidade de informações ou emissão de opiniões restritas aos Editores.

  2. Adote uma linguagem e crítica científica em seu relatório do Parecer de avaliação do manuscrito. Não insulte os autores nem use linguagem excessivamente emocional ou acusatória. Evite atribuir más intenções aos autores e se concentre nos aspectos substanciais do manuscrito. Se houver indícios de desonestidade intelectual, exponha os fatos em vez de especular por intenção. Se ocorrer acusação deixe-a para mensagem reservada ao editor. Se você estiver ciente de que os autores se comportaram de maneira antiética com relação à submissão (como enviar essencialmente o mesmo manuscrito para várias revistas ou plágio), notifique o editor da RV.

  3. Nos primeiros parágrafos do Parecer, o avaliador de apresentar um resumo conciso dos resultados reivindicados, contribuições e linha de raciocínio geral do trabalho. Os editores normalmente não são especialistas no subcampo do autor ou da abordagem do texto, por isso é importante que esse resumo seja claro. Somente depois disso, recorra a questões substantivas sobre a importância e validade dos resultados reivindicados.

  4. O Parecer deve ser consistente e em harmonia com a Carta de avaliação. Se você estiver fazendo uma recomendação de rejeição na Carta de avaliação, não induza o autor a pensar que você está recomendando uma revisão.

  5. Ao concluir a primeira versão do Parecer, leia-o com atenção para que tenha contribuições importantes para melhoria do manuscrito. Exponha argumentos consistentes que possa ajudar os autores.

  6. Evite buscar evidências que sustente sua opinião sobre o tema ou problema abordado no manuscrito. A tarefa do avaliador é determinar se o manuscrito está de acordo com as normas, traz novidades para o estado da arte do tema e se está de acordo com os princípios da ética em pesquisa.

  7. Se estiver óbvio que o manuscrito está muito abaixo dos padrões mínimos de qualidade e formatação, um Parecer curto (de uma página) é aceitável. Nestes casos, não escreva longos textos para impressionar o editor, e envie seu Parecer dentro de uma semana. Ao retornar rapidamente as recomendações de rejeição óbvia, se o editor não concordar com sua avaliação, ele poderá recorrer a outro avaliador sem demora injustificada no processo de envio.

  8. Desenvolva um Parecer com comentários numerados. Isso ajuda na identificação dos pontos.

  9. O Parecer deve ter um tom cordial com os autores e, sobretudo, deve ser útil para o aprimoramento do manuscrito avaliado. Portanto, aponte claramente quais são as fragilidades identificadas e quais os caminhos para superá-las. Fazer perguntas que ajudem os autores refletirem sobre os seus trabalhos é uma boa estratégia, assim como sugerir leituras adicionais. Essas leituras não devem servir de meio para alavancar citações de revisores.

  10. Se empenhe ao máximo na primeira revisão. Promova as avaliações como se o processo foi em uma única rodada. Você fornece alguns comentários e sugestões, respondem os autores, avalia cuidadosamente as alterações e depois a decisão é tomada. Não salve sugestões para a segunda rodada. Se você levantar uma preocupação rejeitável no segundo turno que poderia ter sido levantada no primeiro turno, pode complicar todo o processo editorial. Se o manuscrito for bom, não há problema em recomendar aceitação ou aceitação condicional na primeira rodada.

REVISÃO ABERTA POR PARES (OPEN PEER REVIEW)

Em consonância com as mais atuais práticas editoriais que buscam a ética científica, a RV promove a Ciência Aberta (Open Science), como forma aumentar a transparência, eficiência e responsabilidade do processo de revisão.

Neste sentido, revisores e editores dos manuscritos aceitos para publicação são convidados, no final de cada processo editorial, a revelarem suas identidades; e havendo concordância serão publicados seus nomes nos elementos pré-textuais do periódico.

PREMIAÇÃO DE AVALIADORES DE DESTAQUE

Os avaliadores que tiverem melhor desempenho nos processos avaliativos, no cumprimento destas Diretrizes de Avaliação, serão homenageados com a premiação de Destaque da Revista Verde, a partir dos seguintes requisitos:

- Quantidade de pareceres avaliativos no período;

- Qualidade do parecer, observando: 1) cordialidade no tratamento com os autores; 2) pertinência na indicação dos pontos fortes e fracos do manuscrito; 3) sugestões de como superar as fragilidades identificadas e; 4) sugestão de literatura extra, mas que não seja protocolar (forçar citações desnecessárias).

- Ter o tempo médio de avaliação igual ou inferior a 30 dias;

- Não ter recusado, ou sido omisso, a convite para avaliar durante o período;

- Opinião dos Editores-Chefes e Diretoria Executiva acerca dos pareceres emitidos;

- Ter emitido parecer com atraso.

Observação:

A RV poderá premiar os melhores avaliadores através de menção honrosa, certificado de honra ao mérito, ou outra forma de premiação, a critério do Conselho Editorial. A premiação poderá ocorrer em ano diferente do avaliado.